Ludmilla consagra-se como um dos maiores nomes do pop

LudmillaCom apenas um disco, Ludmilla conseguiu passar de aposta a ídolo nacional. Mais do que isso, a cantora ainda conquistou a tão sonhada estabilidade em apenas dois anos. A faixa Hoje (que também intitula seu álbum de estreia) foi lançada em agosto de 2014 e desde então aparece entre as mais tocadas – não só nas rádios FM mas também nas danceterias e clubs de todo país.

Se o estouro se deu em 2014, a cantora encerrou 2015 com um saldo muito mais que positivo. Modernizou seu show, foi indicada a importantes prêmios – entre eles Melhores do Ano (Domingão do Faustão) e MTV Europe Music Awards –, e participou do tradicional especial de fim de ano de Roberto Carlos (Rede Globo). Assim, quando iniciou 2016, Ludmilla já se projetava como um dos maiores nomes do pop nacional.

No primeiro semestre, enquanto ainda colhia os frutos de seu primeiro disco e realizava dezenas de shows, a cantora começou a trabalhar em seu novo álbum. Para iniciar a nova fase, lançou a faixa Bom, que ganhou em julho um clipe produzido por Felipe Sassi, Amanda Hayar e Layla Guchilo. Em apenas três meses, o vídeo ultrapassou a marca de 25 milhões de visualizações, comprovando que o projeto será tão bom quanto seu antecessor. “É uma canção que tem um ‘flow’ mais acelerado e que foi inspirada nos sons que tocam no Viaduto de Madureira, no Rio”, explica a artista. “Nossa ideia é sempre surpreender o público e o mercado. Eu me cobro muito, quero que tudo fique perfeito. Acho que este disco vai dar o que falar”.

Intitulado A danada sou eu, o projeto conta com produção de Umberto Tavares e Jefferson Júnior e foi lançado em 20 de outubro pela Warner Music. No setlist, 14 faixas inéditas, sendo que quatro delas já foram divulgadas na internet: Bom, Sou eu, Abstinência (part. Filipe Ret) e Tá tudo errado. “É uma nova fase em minha carreira. O álbum está bem eclético e mistura diferentes gêneros, como pop, funk e reggaeton, além de contar com participações de Gusttavo Lima e do rapper norte-americano Jeremih”, revela Ludmilla.
E se você espera apenas por canções animadas, chegou a hora de se preparar para uma surpresa. De acordo com Ludmilla, o álbum na versão digital trará uma faixa-bônus intitulada Duas doses de saudade. “É uma música bem romântica, algo que nunca fiz antes. Estou ansiosa para saber o que meus fãs irão achar”, comenta.

EMPODERAMENTO

Indicada ao prêmio de Melhor Artista Brasileiro pelo Europe Music Awards 2016, Ludmilla caminha para ser uma das maiores referências da música pop no Brasil. Em paralelo, a artista também se tornou, para alguns fãs, uma das caras do empoderamento negro no Brasil. E não é à toa, já que suas canções são repletas de atitude. “Os artistas são formadores de opinião e, mesmo que indiretamente, acabam influenciando outras pessoas. Quando uma pessoa empodera a si, tem condições de empoderar as outras”, reflete. “Não me acho um exemplo a ser seguido, nem sou feminista de carteirinha, mas tento fazer sempre a minha parte”, finaliza.
Por Iule Karalkovas

Fonte: SUCESSO!

Matéria anterior
Paula Fernandes entre os premiados no Latin GRAMMY
Próxima matéria
10 alimentos para perder barriga e gordura adominal bem rápido

Mais do É Pop

Menu