Professor de Aracaju é reconhecido por usar métodos diferentes e atrair muitos alunos

unnamed-13unnamed-14unnamed-15

 

                                 Fabiano Oliveira, que leciona Língua Portuguesa, fala sobre o lado não convencional de suas aulas

“Eu não gosto de escrever”, “Na minha profissão não precisarei ser craque em Português” ou “Este é meu idioma nativo, não tenho de estudá-lo” são algumas frases que os professores de Língua Portuguesa estão habituados a escutarem, afinal, todo estudante tem a sua matéria preferida e quando não é esta a favorita, acabam tendo de arranjar outros meios de incentivar ao aluno sobre a importância dela.

 

Fabiano Oliveira, professor de Língua Portuguesa e Literatura, foi destacado por uma pesquisa de um site brasileiro, o Ultra Curiosos, como um dos 6 profissionais da área do ensino que usam métodos não convencionais para atraírem as pessoas às aulas, além de estimulá-las sobre o estudo. No caso, o único desta matéria está ele. Mas o que há de diferente em seu trabalho para estar nesta lista?

 

“Quando penso em uma aula, penso em transformá-la, em trazer o conteúdo com a nova roupagem. O quadro já não atrai. Estamos na Era da Digitalização, então, não posso lutar contra isso. Portanto, tornei a tecnologia minha aliada em meu cotidiano. Dou todo o conteúdo do Currículo Nacional por outro prisma. Teatro, Música, Literatura, Jornalismo, Gramática e Música dialogam entre si”, explica o professor. Ele considera este o motivo de suas aulas não serem como as tradicionais. “Não uso quadro, nem sala com alunos sentados em filas. Deixo de lado o ensino que os jesuítas faziam com os índios e acredito que o nosso formato de educação ainda seja catequético, infelizmente”, explica Fabiano.

 

Ele conta que para a Língua Portuguesa utiliza artes teatrais e o jornalismo, enquanto para a Literatura emprega músicas de diversos estilos, partindo da realidade deles. Por exemplo, antes de apresentar a arte do Tom Jobim, ele deixa que os estudantes escutem uma música para, então, fazer a “ponte” com o aprendizado.

 

Quanto ao ser considerado um dos melhores professores do Brasil e recorrer a artimanhas não convencionais, Fabiano ressalta que isso é o resultado de muito tempo de batalhas. “Fico feliz em poder levar Sergipe para todo o País. A emoção é enorme e passa um filme desde o começo da carreira até o momento presente. As dificuldades em ser professor não me fizeram parar e as usei como força motriz para dar o meu melhor. Enfrentei barreiras em todos os sentidos, pois implantar algo novo e quebrar um tradicionalismo secular causam estranhezas aos alunos, pais e sociedade, mas é importante acreditar no próprio trabalho e na força do aluno como epicentro do projeto”.

 

Não se repetir e se desafiar sempre são alguns pontos chaves para fazer a diferença

 

A diretora do Colégio Dom Luciano, Marli Barreto, destaca alguns pontos do professor em que ele comprova o diferencial em seu trabalho. “O Fabiano mostrou interesse em fazer algo fora do convencional quando me procurou  para desenvolver  o projeto da CELL (Central de Estudos de Linguísticos e Literários). E  eu, juntamente  ao corpo diretivo, achamos maravilhoso e apostamos, abrindo o espaço  e deixando o professor  com a liberdade para criar com os alunos  essa metodologia  diferente, inovadora, que tem dado ótimos  resultados, tanto no âmbito  pedagógico, quanto estrutural” . Ela explica que o projeto é feito em uma sala com estrutura física distinta, aonde os alunos leem, escrevem, cantam, dançam, interpretam romances clássicos e contemporâneos, entre outros. “Com isso,  os alunos criam muito mais  e aprendem também. E isso é constatado através  dos  resultados dos nossos alunos, porque é perceptível o crescimento cultural e intelectual deles”.

 

Além das aulas presenciais, Fabiano Oliveira também ministra aulas online, ao vivo e videoaulas gravadas no Instituto Educar. Segundo o diretor da empresa, Fábio Figueirôa, tê-lo no corpo docente só tem a agregar. “Ele é um professor dedicado, com bastante experiência em concursos públicos, que é o nosso grande foco no momento, e sabe cativar a todos com o jeito espontâneo e interativo com que dá as aulas”.

 

Para finalizar, Fabiano conta que acredita que o seu maior diferencial seja saber ensinar em uma linguagem respectiva ao estilo dos alunos, tanto os estudantes de colégios, como os concurseiros. “Vejo a didática como a prática associada à criatividade. Ensinar verbos ainda nos moldes tradicionais não atrai, por isso, é preciso criar caminhos. Ter o domínio do conteúdo já não é mais suficiente. É preciso criatividade, inserir um tempero no ato de ensinar. Costumo dizer que o que me faz tão próximo aos meus alunos é usar a linguagem deles. Temos uma relação de respeito, nossa preocupação não é a nota, minha avaliação é mais qualitativa do que quantitativa. Ter carisma, domínio do espaço e do conteúdo são essenciais para o sucesso de qualquer professor”.

 

Matéria anterior
Ciliane Major conta com apoio de Ricky Tavares em nova fase da carreira
Próxima matéria
Alex Cohen chama atenção de pessoas que vão se casar!

Mais do É Pop

Menu